12 regras para pais no futebol de formação

In Artigos de Opinião, Atletas - Artigos de Opinião, Crianças, Destaque, Escolar - Artigos de Opinião, Futebol Formação by RedaçãoDeixe um comentário

Começo este artigo com uma pergunta: Será que somos pais conscientes de que os nossos filhos nos veem como uma referência…?

Todos os nossos comportamentos, gestos, palavras ou acções têm um impacto sobre os nossos filhos. Eles observam-nos e tentam nos imitar tanto quanto possível. Um filho sempre tentará fazer os seus pais felizes, e que se sintam orgulhosos dele. Portanto, a nossa responsabilidade é imensa. Nós somos observados diariamente, portanto, o nosso trabalho educativo nunca cessa. Qualquer momento ou situação é uma etapa formativa excepcional.

Portanto, reforçando a ideia de que os pais devem olhar para o Desporto como uma ferramenta sócio-cultural que enriquece e potencia o desenvolvimento dos seus filhos como homens e depois como desportistas. Esquecermos esta máxima e gerarmos pressão sobre eles é a melhor maneira de levá-los a abandonar a sua modalidade preferida.

A maioria dos pais que acompanham os seus filhos nos jogos e treinos, sentam-se nas bancadas, a observar, a dar-lhes orientações interferindo no desporto dos seus filhos como se fossem eles os executantes, os treinadores. Passam a maior parte do tempo a dar instruções, a maior parte das vezes contrárias às do treinador, criando dúvidas e confusão na criança.

Nos escalões de formação um pouco por todo o mundo, o comportamento e atitudes dos pais destes jovens atletas (com base na psicologia reforço que “uma criança NÃO é um ADULTO em ponto pequeno”,e já agora não esquecer que os jogadores profissionais também erram) é muitas vezes incompreensível. Não só durante os jogos mas até fora destes, promovendo comportamentos aos filhos inadequados face à sua idade, maturação e estado de desenvolvimento em que se encontram.

É importante deixar que as crianças possam errar em situações de jogo é com os erros que vão aprender a melhorar e a corrigir os mesmos, pois isso também lhes vai permitir desenvolver capacidades sociais, emocionais e motivacionais valiosas para o seu crescimento.

Ou seja, em vez de existir uma preocupação e incentivo pelo seu desenvolvimento saudável e evolutivo no processo formativo, temos a visão da maioria dos pais para o desempenho individual porque só veem o seu filho e o resultado final do jogo.

Dirigentes, Treinadores, Adeptos, Pais e Atletas não se esqueçam o futebol é um desporto colectivo, ninguém ganha nada sozinho.

São estas as 12 regras essenciais que todos os pais quer tenham filho(s) a praticar ou não uma modalidade desportiva devem conhecer e respeitar quando forem assistir a um evento desportivo.

O momento mais aguardado e importante após uma semana de treinos e que os vosso filhos tanto asseiam é: O dia do Jogo.

Pais, queremos jogar com estas 12 regras, pensa que cada uma das onze primeiras representa cada um de nós, a décima segunda representa todos os Pais e Adeptos que nós esperamos que nos apoiem antes, durante e depois do jogo, vocês fazem parte da equipa e do clube:

  1. Não me grites em público
  2. Não grites com o treinador
  3. Não menosprezes o árbitro
  4. Não menosprezes os meus colegas
  5. Não percas a calma
  6. Ri e diverte-te a ver-me jogar
  7. Não me dês lições depois do jogo
  8. Não te esqueças que é apenas um jogo
  9. Pensa que sempre farei o meu melhor
  10. Com o teu apoio serei feliz
  11. Não jogo sozinho, somos uma equipa apoia-nos
  12. Respeita os nossos Adversários

A presença dos pais deve se limitar a incentivar a equipa e a estar ao lado dos seus filhos. Os Pais apoiam com ética desportiva!

Contamos com todos na divulgação e partilha para que esta informação chegue ao máximo possível de pessoas que gostam de futebol ou de outras modalidades Desportivas em geral.

Pai e Mãe não te esqueças uma regra por cada jogador, tu és o nosso “décimo segundo jogador”!

Nota de Esclarecimento: O Porquê de serem 12 as regras e não as 10 primeiras que já circulam pela Internet, aproveitando desde já para dar os parabéns ao autor das 10 regras.

Na minha opinião as regras adicionais são hoje duas das grandes problemáticas no futebol de formação, os pais tem de mudar o seu comportamento e serem uma fonte de apoio e motivação o mítico “Décimo Segundo Jogador” e passo a esclarecer a forma como as interpreto:

Regra 11 – No futebol de formação existem todos os tipos de pais, em grande parte o seu foco é no individual (nos seus futuros Cristianos Ronaldos ou Messis) o futebol é um desporto colectivo e nele ninguém ganha nada sozinho.

Regra 12 – A Violência Verbal e Física no futebol de formação durante um jogo para com os atletas adversário, árbitros, treinadores e entre os Pais de cada equipa.

Estas duas regras serão objectos de futuros temas a desenvolver em artigos neste site.

Lembrem-se no Futebol de Formação não existe espaço para a eleição do Bolas de Ouro ou Vencedor da Liga dos Campeões, existe espaço sim para a formação integral dos jovens como desportistas e como futuros Homens ou Mulheres.

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.