Força de gravidade e a coluna vertebral

In Artigos de Opinião, Destaque, Saúde - Artigos de Opinião by RedaçãoDeixe um comentário

À medida que vamos amadurecendo a nossa coluna torácica começa a flectir exponencialmente, cedendo à acção exercida por a força da gravidade. A cifose torácica aumenta 5% por década a partir dos 60 anos. Esta cifose é caracterizada por uma curvatura excessiva da coluna torácica.

Manter uma boa postura vertical é um desafio que temos de enfrentar à medida que os anos vão passando. Mas a sociedade em que vivemos não nos coloca numa posição favorável e o desafio não é fácil, aliciando-nos diariamente com cadeiras, secretárias, computadores, sofás … Juntam-se numa espécie de conspiração para arredondar a nossa coluna e levar os ombros para a frente, além de tudo isto é preciso acrescentar o stress e as emoções negativas que caem sobre os nossos ombros como se levássemos o peso do mundo nas nossas costas. Por todas estas razões e mais alguma, a postura erguida e o corpo equilibrado é difícil de manter.

A nossa posição vertical começa a desenvolver-se gradualmente a partir da posição fetal no útero. Durante o primeiro mês, o bebé pode levantar a cabeça para olhar em redor, aos três meses pode arquear a parte baixa das costas para a extensão. Longe da postura fetal, no final do primeiro ano, é possível andar verticalmente agarrados. Aprender a andar é um dos marcos mais importantes da vida da criança, já que é um enorme passo a caminho da independência.

Já aos 3 anos a maioria das crianças ganhou coragem para largar a cadeira ou o sofá que serviam de apoio e avançam cheias de confiança, conseguindo estar de pé como um adulto e manter o equilíbrio apenas numa perna. O início de uma postura que desafia as leis da gravidade e ao mesmo tempo imponente para enfrentar as adversidades do meio ambiente.

Infelizmente, estar sentado de forma errada e durante muito tempo nas escolas e nos sofás à frente da televisão envenenam esta postura vertical inata que conseguimos adquirir com perserverança. Os efeitos de uma má postura são bem conhecidos, provocando esta, dores de cabeça, dores de pescoço, costas etc.

Como podemos ajudar a combater isto de forma simples e acessível a todo o tipo de população? A solução está em adquirir novos hábitos moldando o cérebro para um estilo de vida saudável. Respirar e meditar diariamente. Fortalecer as estruturas internas que protegem a coluna vertebral, incluindo exercícios correctivos e terapêuticos de forma a obter consciência de uma postura óptima para que se torne novamente um hábito subconsciente em todas as atividades diárias. Estes exercícios são projectados para ajudar a compensar a poluição ambiental de más posições longas e devem agir como um programa antivírus do computador, alertando sempre dos perigos de posturas inadequadas e prolongadas.

Ter controlo sobre os seus movimentos, adquirir padrões motores com qualidade, e treinar força de forma consistente e vigorosa é de facto imprescindível na matriz de longevidade para qualquer ser humano.

” A chave para o poder é entrar em ACÇÃO.” Anthony Robbins

Future Needs Care! – Ricardo Silvestre
Performance Specialist & Certified Personal Trainer

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.