Futsal amador, associações de futebol distritais: parte do problema ou da solução?

In Artigos de Opinião, Futsal by AdminDeixe um comentário

O Futsal em Portugal, na Europa e no Mundo está a crescer cada vez mais, não apenas em quantidade, mas em qualidade.

Vemos cada vez melhores organizações de eventos como a UEFA Futsal Cup, o Campeonato Europeu e o Mundial, sonhamos com a entrada nas modalidades olímpicas.

Vemos também mais e melhores eventos e projetos organizados pela FPF para promover o Futsal, principalmente durante os últimos anos, que têm projetado Portugal para um patamar (ainda) mais internacional.

Somos um país com pouca tradição na modalidade, comparando com a vizinha Espanha, Itália, Rússia ou Brasil, o que não invalida que tenhamos cada vez mais a cultura ‘futsalista’ dentro de nós, afinal de contas o melhor jogador do mundo é português e somos atualmente Campeões Europeus.

A paixão e emoção que nos leva à loucura em cada defesa do guarda-redes, o corte fenomenal que ninguém esperava do fixo, o drible genial do ala que nos deixa boquiabertos, ou até com o golaço do pivot que nos deixa de mãos na cabeça, sem palavras. Sem palavras, porque emoção não se consegue explicar, sente-se. Futsal é mais que uma modalidade, é uma forma de viver e estar na vida e no desporto.

Infelizmente, por estranho que pareça, (tentando) contrariando a realidade e a evolução da modalidade, temos algumas Associações de Futebol espalhadas pelo País que além de não se focarem minimamente no Futsal ainda desprezam a nossa modalidade, desprezam a nossa paixão, dedicação e sacrifício quando muitas das vezes nem recebemos uma compensação por isso. Ganhamos chatices, inimizades e problemas, mas continuamos a dar o corpo às balas, porque é esta a nossa forma de viver. Somos parvos, idiotas.

Perguntam-nos, “Mas o que andas lá a fazer se não ganhas nada? É uma perda de tempo!”. Quantas vezes apenas nos deixamos rir para não ter que assentir o óbvio.

Damos o nosso tempo e a nossa vida em prol dos outros, do desporto, e muitas vezes não recebemos o respeito merecido.

O pior é quando isto acontece dentro das Associações de Futebol, as mesmas entidades que era suposto ajudarem, darem a cara e serem a voz de todos nós, porque afinal de contas é para isso que as AF’s servem. São entidades que existem para representar os interesses dos seus filiados, os clubes. Pelo menos era assim que devia ser.

Infelizmente temos cada vez mais desinvestimento, menos incentivo e interesse na prática de Futsal, e atenção, investimento e incentivo não tem que ser apenas em termos monetários! Há inúmeras formas de investir e incentivar, uma dela é a mais fácil e simples: Presença.

Não tem explicação as posições e a postura para com os clubes, dirigentes, treinadores e jogadores de Futsal; mas Porquê? Se muitos deles até já foram uns de nós, que andavam aqui a dar a cara pelos seus projetos e ideias, sem apoios e com as nossas dificuldades. Porquê agora esta mania de superioridade que apresentam contra os clubes? Porquê esta “snoobice”?

Quem deve mandar em qualquer associação são sempre os seus associados, e neste caso os associados são os Clubes, portanto o que importa tem de ser os Clubes. São os Clubes que têm que arranjar forças e formas heróicas para arranjar os milhares de euros que as Associações de Futebol exigem e que nós todos compreendemos, pois afinal de contas são eles que organizam e regulam as competições. O problema é quando surgem despesas que não compreendemos mas que ainda assim somos obrigados a pagar, e o motivo? Apenas porque sim.

Por exemplo, são os Clubes que devem treinar e evoluir os jogadores para que representem as Seleções Distritais, são os orgulhos dos treinadores, diretores e sócios dos Clubes mas também de todo o Distrito, são os nossos representantes, mas não se enganem pois quando há resultados nas Seleções (se houver) os principais responsáveis já não são quem trabalha com eles todo o ano, mas sim o Staff Técnico da Associação Distrital que acompanha os jogadores em carrinhas e autocarros de topo, com boas bolas e equipamentos novos, que todos nós gostamos de ver, mas que infelizmente depois sabemos que é com o nosso dinheiro. Nos clubes a realidade é oposta. É difícil termos condições para dar aos atletas, aos técnicos, aos dirigentes, pois o pouco dinheiro que é angariado vai quase na totalidade para as AF’s. São inscrições caríssimas, são verbas sem sentido por transferências, são multas sem fundamento lógico, são castigos sem justiça. É isto o poder da Associação de Futebol?

O pior é que é um Poder apenas dado por todos nós, os parvos e idiotas da vida desportiva amadora que treinam com bolas velhas e furadas, com equipamentos velhos e remendados, com carrinhas velhas e podres, mas sempre com um sorriso, uma satisfação, e com a esperança de um dia melhorar.

Esta é a realidade de muitos Clubes, mas porque o tem que ser?

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.