Lesões desportivas nos jovens atletas: guia de regresso à atividade desportiva

Em Artigos de Opinião, Atletas - Artigos de Opinião, Crianças, Futebol Formação, Medicina - Artigos de Opinião, Saúde - Artigos de Opinião por AdminDeixe um comentário

Uma das primeiras perguntas que um jovem atleta fará após uma lesão, ou doença, é: “Quando posso voltar ao desporto?” A resposta raramente é simples. As decisões de regresso ao desporto podem ser controversas e uma fonte de conflito entre os prestadores de serviços de saúde e outros.

Para algumas condições médicas e alguns desportos, existem políticas específicas que ajudam a orientar as decisões de regresso à atividade desportiva. No entanto, a maioria das decisões de regresso envolve circunstâncias únicas, que não podem ser totalmente abordadas por declarações genéricas.

O seguinte Guia da Academia Americana de Pediatria (AAP), fornecendo orientação sobre quando um jovem atleta pode voltar à prática desportiva, após uma lesão, e pode ser usado em situações em que a orientação geral não é suficiente. As respostas a muitas destas perguntas exigem informações de um médico. No entanto, a compreensão do processo ajuda os atletas e as famílias a trabalharem com o seu médico, nas decisões de regresso ao desporto, e a entender melhor as razões por trás dessas decisões.

  1. Qual o Diagnóstico?

Um diagnóstico correto é crucial para abordar a causa dos sintomas, as melhores opções de tratamento, o prazo e o nível esperado de recuperação. Os “rótulos” gerais, como “entorse de joelho” ou “espasmo nas costas”, não fornecem informações suficientes para fazer um plano de tratamento ou determinar quanto tempo a recuperação levará.

  1. Em Que Medida a Lesão Afeta a Performance?

A lesão vai atrapalhar a capacidade do atleta de praticar o seu desporto? Por exemplo, a condição afeta adversamente a resistência, flexibilidade, força ou coordenação?

  1. Qual O Risco da Lesão Piorar Com A Prática Desportiva?

As lesões ocorrem em estruturas vulneráveis. Como resultado de uma lesão, a estrutura lesionada pode tornar-se ainda mais vulnerável. Se um atleta regressar ao desporto antes de uma recuperação completa, a lesão piorará previsivelmente. Entorses leves podem tornar-se entorses graves. Uma fratura por stress pode transformar-se numa fratura completa. Uma leve concussão pode aumentar o risco de uma segunda lesão cerebral ou mesmo morte.

  1. Qual o Efeito do Tratamento?

Existe tratamento disponível para a lesão? O tratamento foi realizado? Quão eficaz é o tratamento? Há algum efeito negativo do tratamento? O tratamento foi concluído? Os déficits da lesão foram restaurados?

  1. O desporto ou o Nível de Participação Podem Ser Modificados Para Serem Mais Seguros?

O atleta pode jogar, temporariamente, noutra posição ou parar atividades específicas, sem comprometer a recuperação? As horas de prática ou o número de equipas podem ser reduzidos, durante a recuperação? A técnica, ou equipamento usado para o desporto, podem ser modificados para permitir que o atleta continue a jogar/praticar?

  1. Existe um Risco Desproporcionalmente Alto de Mais Lesões?

Todos os desportos apresentam algum risco de lesão. O risco é maior para desportos de contato e colisão. Lesões graves e de longo prazo também podem ocorrer em desportos de não-contato e de resistência. Esses riscos devem ser compreendidos e aceites pelo atleta e pela família, antes de praticar qualquer desporto. No entanto, se lesões ou doenças aumentarem ainda mais o risco, pode não ser aconselhável jogar. Quando o risco de novas lesões é desproporcionalmente alto, os médicos têm a responsabilidade de identificar essas situações e recomendar mudanças ou restrições de participação.

  1. Existe um Consentimento Informado?

Praticar desporto pode parecer não ter nada em comum com o planeamento de uma cirurgia, mas ambas as atividades exigem consentimento informado. As perguntas anteriores ajudam a definir o risco de novas lesões, ou outras complicações, associadas ao regresso ao desporto. Em alguns casos, o verdadeiro risco não é conhecido. Noutros casos, o risco é elevado, ou inaceitável. Seja qual for o caso, o regresso ao desporto não deve acontecer até que todos os riscos sejam compreendidos e considerados aceitáveis pelo atleta, pela família e pelo médico.

  1. O Jovem Atleta Quer Regressar?

A maioria dos atletas jovens, que gosta de desporto, deseja regressar após uma lesão ou doença. Se os atletas não quiserem regressar, não devem ter alta, para participar. Existem várias razões pelas quais um atleta pode não querer voltar a jogar: medo de mais lesões, preocupação de que a lesão não lhes permita jogar, perda de interesse, esgotamento, ou pressão de treinadores, pais ou outros. Seja qual for o motivo, os atletas que não querem jogar não devem ser pressionados a voltar, mesmo que a lesão tenha sido resolvida.

Deixe um comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.