O Basquetebol é que não é como o futebol

In Artigos de Opinião, Basquetebol, Destaque, Futebol, Modalidades by RedaçãoDeixe um comentário

Como já passaram umas horas sem eu ler nada sobre as infelizes declarações de João Novais e de Abel Ferreira citando Paulo Bento… é a minha vez de dar uma opinião.

O primeiro facto a registar é que nós, os que gostamos de Basquetebol, temos de nos considerar lisonjeados pelas referências. É que eles podiam perfeitamente ter feito a mesma comparação do “contacto físico” com o voleibol ou badminton (que até têm rede a separar as equipas) mas optaram pela modalidade de pavilhão mais popular do nosso país. Obrigado.

Depois, chamo a atenção para as declarações dos nossos treinadores no final do clássico FC Porto x SL Benfica desta semana. Moncho López, que viu a sua equipa vencer, e a dada altura por uma larga margem no marcador, disse «temos a humildade de perceber que este triunfo não foi perante um Benfica na máxima força» elencando em seguida os factos que suportavam essa afirmação que, ditos por ele, evitavam ser lembrados pelo treinador adversário em jeito de “desculpas de mau perdedor”. Por seu lado, Arturo Álvarez, reconheceu imediatamente «o FC Porto fez um grande jogo e foi um justo vencedor». Será que algum dia isto vai acontecer no futebol? Sonhem…

No Basquetebol, vamos sabendo ganhar e perder. Aliás, quando perdemos temos por hábito assistir à entrega dos troféus aos vencedores, que também por norma vêm cumprimentar os vencidos. Os treinadores preparam-se antes das conferências de imprensa, não dizendo o que lhes vai ocorrendo no momento. No Basquetebol já percebemos há muito que valorizar os adversários é sinónimo de valorizar o nosso desempenho, tanto em caso de vitória como na derrota. No Basquetebol elogiamos e apoiamos os árbitros, reconhecendo a dificuldade da sua tarefa; ou ignoramo-los, que é uma outra forma de realçar positivamente o seu desempenho.

No Basquetebol fomos vanguardistas e pioneiros em tanta coisa… inclusivamente à frente do futebol, que não tenho espaço nem para nomear nem vocês paciência para ler.

Mas, acima de tudo, a nossa modalidade tem marcado a diferença porque nela respeitamos as pessoas, independentemente das suas funções, opiniões e preferências. A pessoa dirigente respeita a pessoa treinador, que respeita a pessoa jogador, que respeita a pessoa árbitro, e por aí fora. Sabemos que, mesmo sendo mais que um jogo, com tudo de bom e de mau que isso acarreta, há valores e princípios que se sobrepõe ao ganhar e perder.

O Basquetebol é que não é como o futebol. Felizmente.

Ps: como tudo na vida, há sempre exceções (nos dois casos) e exemplos de boas práticas fantásticas no Futebol (com F maiúsculo)

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.