O Microciclo – Planear e Treinar com a Psicologia do Desporto.

In Artigos de Opinião, Destaque, Modalidades by RedaçãoDeixe um comentário

O artigo de hoje é especial para mim, pelo simples facto de que saí de uma perspetiva de formação geral – onde destaco vários temas e tento ser o mais prático possível para que o leitor possa, para além de refletir, extrair algumas ferramentas gerais – para o campo, para o planeamento e treino. Esse contacto de permanente antecipação, planificação, avaliação e ajustes permanentes, numa ciência nada mas mesmo nada exata, como é o desporto!
Com este artigo vou expor um pouco sobre o meu trabalho prático, mais concretamente a exposição dos dois momentos que considero essenciais na preparação de uma equipa e claro da equipa técnica para a competição.
Neste sentido, destaco as duas fases que o trabalho de preparação do jogo contempla, dentro do modelo de trabalho que desenvolvo:
· Relatório de Preparação da Semana: Este relatório contem a avaliação do jogo anterior; analise do estado atual da equipa onde trabalho e analise ás características do adversário. Todos estes aspetos são analisados tendo em consideração única e exclusivamente as variáveis Psicológicas que pretendemos: Manter, Eliminar, Consolidar e desenvolver, para o jogo do fim-de-semana. Sendo essencial destacar que o mesmo, funciona como relatório de proposta, sendo sempre a decisão e ajustes finais dos conteúdos propostos feita pelo treinador, que acaba também por ser o líder desta equipa. Que é uma equipa técnica multidisciplinar.
· Preparação dos conteúdos de treino a aplicar de acordo com o relatório de preparação desenvolvido: Após a seleção das variáveis a trabalhar são selecionados os momentos e os conteúdos a aplicar no processo de treino e algumas atividades complementares. É de destacar a importância deste processo ser o mais integrado possível nas rotinas habituais da equipa e que apresentem um caracter continuo no decorrer da época.
Todo este trabalho de preparação para o jogo tem de ser um complemento ao trabalho individual que é desenvolvido ao longo da época com os atletas e os elementos da equipa técnica. Pois alguns dos conteúdos de treino propostos têm de estar adquiridos individualmente, com técnicas adequadas a cada elemento. Não basta chegar á semana X e referir que é importante trabalhar o controlo das emoções. É importante o trabalho individual para que por exemplo, o treinador saiba que tipo de emoções são favoráveis. Quais os momentos de maior risco de descontrolo. E que comportamentos/estratégias tem adquiridas para que em momentos de risco consiga manter a direção da sua atenção para dois aspetos fundamentais… antecipar e direcionar a equipa, independentemente do contexto e cenário da competição.

 

Neste artigo avanço apenas com um exemplo prático de relatório de preparação da semana. Um exemplo esse de carácter geral. Os nomes dos Clubes são fictícios.
Vamos lá!

 

 Resultado de imagem para olheiros futebol

 

Microciclo: XXXX vs YYYYY
Jornada: __ Jornada Campeonato Nacional 1ª Divisão, Hóquei em Patins

 

Enquadramento
“O Team deles está muito bem!”;  “O João está a defender muito!”; “ O Pedro e o Diogo estão a partir tudo!”; “O Team Deles está num bom momento, gostei muito do que vi no video!”; “Não gostei do nosso treino”; “30min a discutir uma ação numa fase destas, como é possível?”.
Foram estas as principais frases que ouvi no decorrer da semana de trabalho que encerra com o jogo frente ao Team Deles. Com as citações em cima descritas estamos a olhar para o adversário e a dar-lhe valor, muito valor! Podemos percecionar que eles são competentes… e são! Mas não devemos sobrevaloriza-los e sobrevalorizar-nos a nós… pois se analisarmos estamos em todas as frentes e  dependemos de nós para o alcance de todos os nossos objetivos.
Somos exigentes? Sim! Queremos que a equipa esteja perto da excelência? Sim! Mas isso não pode fazer com que passemos a dar demasiado enfoque aos aspetos menos positivos  que decorrem dos nossos comportamentos diários (corremos o risco de entrarmos em pensamentos do tipo catastrofista, tirando-nos energia para pensarmos na tarefa- nas soluções) e a uma sobrevalorização generalizada do adversário. Vamos analisar comportamentos, factos, padrões de ação. Uns positivos outros a explorar, certamente.
Vamos defrontar uma equipa que luta pelas mesmas metas que nós em qualquer competição, vamos jogar no nosso ambiente e com um plano de jogo bem definido, sendo essa a principal componente para este jogo: O plano de jogo(!!) com uma comunicação objetiva e direcionada pelo treinador, pois esta é a base para a equipa saber o que tem de executar no decorrer no jogo… a base para estar confortável e dentro da tarefa no decorrer da história… uma história de 50min, que terá certamente vários cenários (vantagens, desvantagens, power e underplay). Tudo situações que já temos soluções para mantermos a estabilidade comportamental e emocional.

 

Objetivos:
Resultado : 3 pontos
Desempenho: Direcionar a atenção para três aspetos essenciais que serão relembrados, identificados e treinados durante a semana. A nossa identidade, as características do adversário e a estratégia para o jogo. Estes três fatores serão o plano. É neste tipo de objetivo que tem de estar a nossa atenção. No plano. Nos comportamentos. Estas sim são ações que nós controlamos!

 

Principais Habilidades Psicológicas a Treinar Durante a Semana – Grupo:
 
· Controlo Emocional;
· Auto-Eficácia;
· Resiliência (Resistir ás adversidades);
· Concentração.

 

Controlo Emocional
• Transmissão de informação útil e relevante para a estabilidade individual e coletiva na preparação para o jogo;
• Para isso é essencial desvalorizar aspetos que não controlamos e que podem provar excesso de informação na hora de decidir (árbitros, ambiente, foco no resultado final (futuro) quando o foco deve estar na tarefa (presente);
• Canalizar a informação para as tomadas de decisão presentes no plano de jogo.
Auto-Eficácia
• A capacidade de nos sentirmos competentes na pratica das nossas tarefas, que nos aumenta a confiança e diminui os níveis de ansiedade.
• Termos sempre presentes as nossas capacidades/talento individual e o papel dentro do grupo na pista – Isso traz-nos estabilidade e sensações positivas;
•Projetar e imaginar cenários positivos – Enfocando mais os nossos pontos fortes e dando relevo também as fragilidades do adversário.
Resiliência
• O tal plus de que tanto falamos no dia a dia de trabalho, sendo uma característica importante para todos os jogos mas essencial para este!
• Levar com as bolas nas pernas;
•Superar cansaço;
•Promover situações de superioridade com as transições ofensivas e defensivas;
•Superar a dor;
•Ganhar duelos;
Concentração
•Capacidade de direcionarmos a atenção interna (pensamentos) e externa (objetos) para os aspetos relevantes para a execução da tarefa.
•Para isso é decisivo: ter sempre presente o plano de jogo, o papel dentro do grupo e o momento/cenário presente do jogo.

 

•Nota: É essencial desligar do que é facultativo e desconcentra/descontrola a equipa. (ex: arbitragem, ou pensamento no passado (golo sofrido ou erro individual)

 

Principais Habilidades Psicológicas a Treinar Durante a Semana – Treinador
· Controlo Emocional (a mesma habilidade que a anteriormente descrita, se bem que trabalhada de forma diferente… não a destaco neste campo);
· Comunicação Verbal;
· Comunicação não-Verbal;
· Psicologia Positiva
Comunicação Verbal
A característica mais importante aqui é a clareza e objetividade da informação associada ao adversário e ao nosso plano de jogo, optando sempre que possível dar exemplos práticos para que a mensagem seja diretamente percecionada pelos atletas.
Podemos resumir o que disse respondendo com clareza e objetividade as seguintes questões:
–  Alinhar com os nossos valores… a nossa identidade (princípios de valores e filosofia de equipa e do seu jogo)
– O que vamos encontrar (Benfica e as suas características – Pontos fortes e fragilidades)
– Como Vamos responder (a nossa estratégia)

 

Comunicação não-verbal
•Eu sei que este jogo apresenta uma elevada carga emocional, tanto pelo adversário como pelo momento e importância que o jogo apresenta para nós, eu sei e os jogadores também:
•Por isso é essencial que o treinador, num contexto como este mantenha o controlo através de uma postura:

 

Controlada e Serena (ex: manter o foco nos aspetos relevantes e comunicar essencialmente esses conteúdos – com o objetivo de antecipar e direcionar a equipa – Caso haja algum descontrolo deve trabalhar a técnica adquirida com o trabalho individual com o Profissional em Psicologia do Desporto)
 Tom de voz assertivo e suave (tentando evitar o tom alto) – devido ao contexto do jogo (ex: na preleção, intervalo e descontos de tempo).

 

Na segunda parte do artigo, vamos transferir os conteúdos do relatório de preparação da semana para o treino. A tal segunda fase na construção do microciclo de trabalho.

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.