16º Fórum Nacional da Arbitragem foi um sucesso

In Futebol, Futsal by RedaçãoDeixe um comentário

 

A formação dos árbitros, a deteção e retenção de jovens valores, a introdução do programa CORE ou o estatuto do dirigente desportivo foram alguns dos temas abordados ao longo do passado fim de semana (dias 13 e 14 de abril), no 16o Fórum de Arbitragem, que se realizou em Tabuaço.

Este evento, que anualmente reúne representantes do Conselho de Arbitragem (CA) da Federação Portuguesa de Futebol e dos conselhos de arbitragem das 22 Associações de Futebol do país, realizou-se pela primeira vez no distrito de Viseu e foi organizado pelo CA da AF Viseu e o CA da FPF, com o apoio da AF Viseu e da Câmara Municipal de Tabuaço.

Balanço positivo Ao longo de dois dias trabalhou-se e discutiu-se o futuro da arbitragem nacional, através da partilha de ideias e experiências. O balanço acabou por ser bastante positivo, com o presidente do CA da FPF, Fontelas Gomes, a elogiar o trabalho desenvolvido por todos em Tabuaço.

“Acima de tudo, e como sempre acontece nestes fóruns, saímos daqui mais ricos. Ficamos a conhecer-nos ainda melhor. Ficamos também com uma consciência ainda melhor da realidade da arbitragem nacional. As associações distritais e regionais são parceiras fundamentais para nós. Um grupo de pessoas que gosta do que faz, que se empenha, que pretende fazer cada vez mais e melhor. Mais do que nunca, esta parceria é essencial. Olhamos com uma atenção redobrada para a formação, para a deteção cada vez mais precoce de talentos. Para criar e reter valor.

Para investir nos que se esforçam. Trazer o CORE para um plano cada vez mais próximo da base vem exatamente nesse sentido”, referiu o responsável.

Fórum de Arbitragem: O ponto alto para o CA de Viseu José Carlos Lopes, presidente do CA da AF Viseu, destacou a organização deste Fórum como o ponto mais alto do seu mandato e, na cerimónia de abertura dos trabalhos, aproveitou para deixar algumas das traves-mestras do trabalho desenvolvido no CA de Viseu.

“Destaco o rejuvenescimento do quadro de árbitros de futebol e futsal, fruto dos cursos descentralizados por todo o distrito; a grande aposta na arbitragem feminina com várias árbitras nos quadros nacionais; a implementação do PDATRA (Programa de Detenção, Acompanhamento de Talentos e Recrutamento de Árbitros), com programa de assessorias e tutorias; o aumento do número e frequência dos Centros de Treino (CT). Neste momento, dispomos de três CT. Um CT de futebol financiado pela FPF e dois CT de futsal, sem financiamento, em Lamego e Viseu. De referir que ao nível do futsal no país, temos a segunda maior taxa de frequências nos CT”, sublinhou José Carlos Lopes.

O presidente do CA da AF Viseu sublinhou ainda todo o trabalho e empenho da sua equipa. “É com enorme orgulho que conto com uma equipa de conselheiros assíduos e colaboradores nas variadíssimas situações de arbitragem distrital, como reuniões semanais, Centros de Treino, ARA’s e presenças nos campos ao fim de semana, com tudo o que isso acarreta para a sua vida familiar e de uma forma voluntária, em torno de uma causa que é a arbitragem”, concluiu.

AF Viseu pede estatuto do dirigente desportivo e maior apoio financeiro para a arbitragem Na sessão de abertura esteve também José Alberto Ferreira, presidente da AF Viseu, que destacou o trabalho feito pela arbitragem viseense.

O responsável aproveitou ainda para deixar uma mensagem à FPF, onde pediu que se trabalhe no sentido de avançar com o estatuto do dirigente desportivo e com um maior apoio financeiro para a arbitragem regional.

“A FPF tem feito um grande esforço financeiro de dotar as associações de algumas capacidades mas terá que o fazer também relativamente à arbitragem. O CA deve ter alguém que se dedique a tempo inteiro a esta causa, sem que para isso prejudique o tempo familiar e de descanso. Espero que estes lamentos possam chegar a Lisboa”, reforçou José Alberto Ferreira.

O responsável deixou ainda um desejo: ter árbitros de futebol da AF Viseu na Primeira Liga.

“Gostaríamos de ter mais protagonismo na arbitragem nacional. Já temos no futsal e na arbitragem feminina, inclusive com uma árbitra internacional. Os nossos árbitros de futebol também são bons e eu espero que rapidamente tenhamos alguém no primeiro nível da arbitragem nacional”, frisou.

Hermínio Loureiro elogia trabalho do CA Já na sessão de encerramento esteve o vice-presidente da FPF, Hermínio Loureiro, que não deixou de elogiar o trabalho que tem vindo a ser desenvolvido: “A arbitragem é um setor importante e estratégico. Achamos que tem melhorado consideravelmente, embora obviamente são seja perfeita. Sei que todos trabalham diariamente para que a arbitragem seja cada vez melhor”.

O dirigente aproveitou ainda para “responder” ao presidente da AF Viseu, sobre o tema do estatuto do dirigente desportivo, garantindo que “se encontra em fase de discussão”.

APAF apoia os CA com “Kits de primeiro apito” Na cerimónia de encerramento marcou presença Luciano Gonçalves, presidente da Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol (APAF), que destacou a importância de eventos como o Fórum Nacional de Arbitragem.

“A criação de grupos de trabalho, o falarmos de temas que são oportunos para a arbitragem nacional com quem lida com eles diariamente é de extrema importância”.

Perante alguns pedidos de apoio da parte dos CA regionais, Luciano Gonçalves lembrou que a APAF tem, entre várias ações, os kits de primeiro apito para os novos árbitros, uma ajuda material sem qualquer custo para os CA.

Câmara de Tabuaço orgulhosa de receber 16o Fórum de Arbitragem A acompanhar todo o evento esteve Carlos Carvalho, presidente da Câmara Municipal de Tabuaço, um dos grandes apoios na organização desta edição do Fórum de Arbitragem.

Nas suas intervenções, o autarca destacou a “obrigação” da Câmara em receber eventos que proporcionem desenvolvimento, seja qual for o setor.

“Foi um orgulho tê-los aqui. É nossa obrigação receber este tipo de eventos, com esta dimensão e com massa critica, que permitem que dentro de um determinado setor se cresça, desenvolva e evolua”, disse.

Carlos Carvalho fez ainda um paralelismo entre a política e a arbitragem, dizendo que quem trabalha nestes dois setores o faz “por amor e paixão” mas acaba, muitas vezes, por sofrer de alguma injustiça.

“Se todos tivessem, com eles próprios, a exigência que têm connosco viveríamos num mundo incomparavelmente melhor”, desabafou o autarca.

Carlos Carvalho aproveitou ainda para comunicar aos presentes que mais de uma década depois o futebol poderá voltar a ser uma realidade no concelho onde, nos últimos anos, só existia futsal.

“Recuperou-se um clube de futebol de 11, o Arcos Futebol Clube, um fenómeno contrário à realidade atual. Um clube, para já nas competições recreativas, com jogadores de todo o concelho”, contou.

Quanto ao futsal, o autarca lembrou que “numa terra onde moram cerca de seis mil pessoas, há vários jogadores na seleção nacional e nas camadas jovens”, finalizou. No final do evento, ficou a saber-se que a Associação de Futebol de Santarém será a anfitriã da 17.a edição do Fórum de Arbitragem, que terá lugar no próximo mês de outubro, em Almeirim.

Estes dois dias de Fórum da Arbitragem não poderiam ter sido mais produtivos, no que à vida da arbitragem diz respeito e no valorizar das terras e gentes do distrito de Viseu.

O CA e a AF Viseu ficam com a certeza de que as dezenas de participantes neste evento serão embaixadores de Tabuaço, e do distrito, e agradece à Câmara Municipal de Tabuaço todo o empenho e apoio na realização deste evento nacional.

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.