Carta aberta de Vítor Santos a todos os jovens que sonham ser profissionais de futebol

In Artigos de Opinião, Atletas - Artigos de Opinião, Destaque, Escolar - Artigos de Opinião, Futebol Formação by RedaçãoO comentário de 1

Começo esta carta por vos perguntar se conhecem algum atleta, à exceção do Cristiano Ronaldo, da foto em anexo, que representa a seleção portuguesa de Sub15 do ano 2000? Esta é a foto da sua 1.ª internacionalização.

Porque partilho esta foto aqui?!

Conseguem identificar mais algum jogador a não ser ele?

– Não!!

Então que podemos concluir?

Se estes eram os melhores jogadores com 15 anos em Portugal naquele tempo e não jogam sequer na 1.ª liga portuguesa, é porque se “perderam” no caminho. Quem os escolheu, o seu selecionador, fê-lo com a certeza de que estes eram dos melhores. E eram. Outros há que nunca foram à seleção e que são agora atletas de sucesso.

É que o desporto, neste caso o futebol, é um caminho muito longo e não chega ter potencial. É preciso acreditar, querer, superar adversidades. Não há receitas mágicas no desporto. Todos queremos ganhar – sempre. Até nos treinos. Mas primeiro temos de ser competitivos para ganharmos mais vezes.

E esse ganhar só se traduz numa palavra: sucesso.

E o sucesso é serem felizes por fazerem aquilo que gostam de fazer: seja lá o que for. Mas que seja sempre uma escolha feita por vós.

Sempre houve diferenças entre equipas e sempre vai haver. Dificuldades que superaram umas vezes e outras não. Ganharam menos vezes por serem os mais novos, por exemplo, contra os mais velhos?

– Sim, mas ganharam mais do que perderam e ainda evoluíram no fator mental, no fator do pensar o jogo, que vai fazer toda a diferença no vosso caminho, se o desporto fizer parte do vosso futuro.

Nem todos vão chegar ao fim do caminho, mas não deixem de o percorrer. Mesmo que vos digam que já lá chegaram, por uma ou outra vitória, ou que não chegam lá, por uma ou outra derrota. Ainda vos faltam muitas horas de caminho. E são vocês que decidem se querem continuar ou não.

Não deixem que vos usem como troféus pontuais.

Hoje vocês podem estar numa equipa B e devem entender isso como um passo que tinham de dar no vosso caminho. Pode-se ir pelo caminho mais longo, pode-se ir por um com menos curvas, mas o destino é igual para todos vós. Lutem pelas oportunidades e agarrem-nas.

Na vossa qualidade nem vamos falar. É por demais evidente.

Se forem aos campos que estão ao vosso lado e onde competem crianças entre os 7 e os 12 anos, verão que estão lá muitos CR7. Muitas crianças que são induzidas, como alguns de vós foram, a pensar que já são atletas e que é só uma questão de deixar passar os anos. Errado!

Vocês – hoje – quando olham para trás, sabem disso. E só têm 15 anos!! Já viram muitos amigos a ficarem pelo caminho e outros a aparecerem sem contarem. É tudo uma questão de trabalho, dedicação e de algum sacrifício, mesmo.

Eu, como treinador, fui campeão distrital vários anos e não era o vencedor que sou hoje.

Estou sempre a torcer por todos vós nessa paixão. Não deixem que ninguém vos roube o direito que têm de sonhar. Não vão em elogios fáceis nem em certezas de quem as não pode garantir. Façam as vossas escolhas; as vossas, não as de outros. E depois… acreditem, queiram, superem adversidades. Sejam felizes por estarem a fazer aquilo que gostam de fazer!

Texto adaptado da “Carta aberta aos atletas da equipa B de juvenis do Académico de Viseu (2014/15)”

Comentários

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.