Petit e a primeira vitória: “É um prémio por aquilo que fizeram”

Em Primeira Liga por Admin

Treinador não quis comentar arbitragem de João Capela

Depois de muito sofrer, Petit pôde, finalmente, festejar um triunfo. Depois da vitória por 2-1 frente ao Paços de Ferreira o técnico auriverde destacou a entrega e organização dos seus jogadores: “É uma vitória moralizadora, da qual andávamos à procura há algum tempo. Não foi fácil, perante um adversário difícil, também derivado às circunstâncias do jogo, mas foi o acreditar dos jogadores e merecem-no bem: têm trabalhado e estado focados. Hoje foi uma vitória inteiramente justa. Tenho de dar os parabéns aos nossos adeptos, foram fenomenais, mas não foi um jogo fácil: não foi um jogo com muitas oportunidades. Na primeira parte, os primeiros 10 a 15 minutos um pouco apáticos, derivado também ao resultado e à classificação, mas, depois da expulsão do Mamadu, fizemos o golo e a equipa reagiu. Na segunda parte, tivemos sempre o jogo controlado, sentíamos que o Paços não nos estava a criar perigo, só num ou noutro lance de bolas paradas. Acreditámos até ao fim e o Jhon Murillo, numa arrancada aos 90 minutos, fez o golo inteiramente merecido. Tenho de realçar a atitude dos meus jogadores, que durante 60 minutos jogaram com 10. A equipa esteve muito organizada e a saber o que tinha de fazer, penso que é um prémio por aquilo que fizeram“, sublinhou aos jornalistas.

“Temos de ter esta atitude e caráter de hoje”

Apontando já para os próximos desafios, Petit lembrou que a conquista desta sexta-feira foi apenas uma vitória: “Foram só três pontos, ainda há muito campeonato pela frente e ainda há muitos pontos para conquistar. Temos de ter esta atitude e caráter de hoje. As vitórias trazem tranquilidade e moralizam muito mais os jogadores, que trabalham com outro à vontade. Mas temos de ser iguais a nós próprios, temos agora duas competições diferentes e temos de as encarar com a mesma atitude de hoje. É sempre bom conquistar os primeiros três pontos e trabalhar sobre vitórias é sempre bom. Não vou falar sobre a arbitragem, mas sobre o que a minha equipa fez, que foi muito importante: uma vitória moralizadora e que nos dá ainda mais força para o que vem aí. Não é fácil entrar no jogo estando no último lugar, precisando de pontos, a equipa sentiu algumas dificuldades. Depois da expulsão do Mamadu, a equipa organizou-se, deu as mãos e teve o caráter forte. Dedicou a vitória ao Mamadu, que é um jogador muito querido no nosso balneário. A partir da expulsão do Mamadu controlámos completamente o jogo e os jogadores sabiam que esta vitória ia acontecer“, frisou.