Académico Viseu: do sonho da subida à venda da SAD a investidores russos

Em Artigos de Opinião, Segunda Liga por AdminComentários de 0

Proposta de compra, via Jorge Mendes, dividiu a direção numa altura em que a equipa está a lutar pela subida à I Liga

Três décadas depois, o Académico de Viseu sonha como nunca com o regresso ao primeiro escalão. A equipa está bem posicionada no sempre competitivo campeonato da Segunda Liga e está na luta pela subida. Respira-se esperança na cidade que é capital da Beira Alta. No entanto, nas últimas semanas, a recusa do presidente António Albino em aceitar uma proposta de investidores russos para comprar o clube, alegadamente através de Jorge Mendes, criou um problema institucional com a saída do diretor desportivo André Castro. Um assunto que veio criar alguma instabilidade no clube, com as partes envolvidas a não quererem falar muito do caso, assunto este que deverá ser esta sexta-feira esclarecido em Assembleia Geral do clube.

O centro da polémica, da qual paira um manto de silêncio à volta, é fácil de resumir. Nas últimas semanas investidores russos, sabe o Bancada, revelaram disposição para comprar o Académico de Viseu e apresentaram uma proposta de cinco milhões de euros, três pagos no imediato e dois no caso de subida do Académico à Liga. A recusa do presidente está, porém, a dividir o clube, tudo porque os 51 por cento da SAD pertencem ao presidente e a André Castro, até há pouco tempo diretor desportivo, entretanto demitido, ele que era favorável a que a proposta fosse aceite, e que no último jogo do Académico já não esteve no banco. Nas próprias redes socias, na página de adeptos do clube no facebook (https://www.facebook.com/AcademicodeViseuFas/) chega-se a pedir a demissão de António Albino, mas há quem esteja contra esta eventual venda lembrando que Jorge Mendes está a braços com processos na justiça relativamente a fuga ao fisco.

Contactado por Bancada, o presidente António Albino confirmou apenas a realização da Assembleia Geral do clube para esta sexta-feira, “para aprovação do relatório e contas”, sendo no entanto de prever que a atual situação da SAD venha a ser abordada, no outro ponto 4 da AG dedicado a  “outros assuntos de interesse”,  mas recusou fazer mais comentários. “Não quero falar disso”, disse taxativamente o líder do Académico de Viseu sobre o assunto do momento reservando explicações para a reunião magna do clube. Bancada tentou entrar em contacto com André Claro, mas este esteve sempre indisponível. A confirmar-se a compra dos investidores russos, via Jorge Mendes, esta não será a primeira vez que o agente português intervêm na vida de clubes portugueses como peça fundamental na estratégia  desses emblemas, com Benfica, SC Braga, Rio Ave e FC Porto entre os principais.

A proposta da compra dos investidores russos não é caso virgem no clube da Beira Alta, mas agora com a possibilidade de subir de divisão  a cobiça aumentou. Numa entrevista ao DN em novembro último, António Albino confessava:  “Já recebi para aí uma dúzia de pessoas a quererem investir na SAD mas eu quando decidir abandonar o Académico quero que fique bem entregue. Tenho 70 anos e não posso ficar aqui toda a vida, é verdade que há várias pessoas com intenção de comprar a SAD mas (…) a SAD não está em saldo, quem quiser ficar com o Académico não vai dizer que apanhou o Académico fragilizado financeiramente. O Académico está sólido, não deve nada a ninguém e por isso mesmo estamos aqui para que a subida seja um objetivo no final da época. Sou academista desde os meus 10 anos, não apareci no clube por acaso, apareci quando alguém lhe fez muito mal”.

Desde a época 1988/89 que o Académico de Viseu não está no escalão principal do futebol português. Nessa temporada desceu de divisão e depois vieram os problemas. Dívidas atrás de dívidas que levaram esse Académico a extinguir-se e a ressurgir após fusão com o Grupo Desportivo de Farminhão. Recomeçou nos distritais em 2007 e agora está a lutar pela subida de divisão como há muito não se via.

O Académico de Viseu, liderado pelo técnico Fernando Chaló, após 21 jornadas está em quarto lugar com 35 pontos, os mesmos que Nacional e Leixões, a dois da Académica, a primeira equipa em posição de subida. Mas já esteve durante várias jornadas na liderança do campeonato. O FC Porto B lidera nesta altura com 41 pontos, mas as equipas B não podem ser promovidas.

Coincidência ou não, a verdade é que este assunto da eventual compra da SAD e da demissão do diretor desportivo parece estar a ter reflexos na equipa desportiva. A equipa nos últimos cinco jogos não conseguiu vencer nenhum jogo, empatando quatro e perdendo um. No final do jogo de sábado com o Sporting B, que o Académico empatou 1-1, Francisco Chaló disse que “os jogadores acusaram alguma intranquilidade” e que tal “nada tinha a ver” com a série menos boa de resultados.

“A cidade está preparada para subir, Viseu está cheia de fome de bola e só falta um clique para despertar o dinossauro adormecido”, garantia António Albino na entrevista ao DN. Esse clique, na presunção do presidente do Académico de Viseu, não é a venda da SAD, pelo menos para já, mas será confrontado com esse assunto esta sexta-feira em Assembleia Geral.

Deixe um Comentário