COM O LUSITANO NÃO BRINCAM MAIS! CHEGA!

In Futebol, Futebol Formação, Taça de Portugal by RedaçãoDeixe um comentário

CAMPO DA QUINTA DA CRUZ…E QUE CRUZ! A TRAIÇÃO, OS ABUTRES, AS FALTAS DE RESPEITO E A PARCIALIDADE DE QUEM DEVIA SER IMPARCIAL!

 

Como podem ver pela foto, a luta do Lusitano por este espaço já tem muitos capítulos e começou há 21 anos.
Em 1998 iniciou-se uma luta do Lusitano por um Campo de Treinos. Em 2007 o tão ansiado campo chegou graças a um investimento camarário, devidamente protocolado com o Lusitano, e que visou, essencialmente,premiar o notório trabalho que o Lusitano foi desenvolvendo ao longo dos muitos e marcantes anos de existência, e também pela importância que o clube, teve e tem, no desenvolvimento desportivo, e não só, em Viseu. A cedência de terrenos, a título gracioso, por parte do Lusitano ao Municipio, junto ao Estádio dos Trambelos, foi outro dos principais motivos para o nascimento de um campo de treinos. Convém recordar que o Lusitano é sócio fundador da AF Viseu, Medalha de Mérito Desportivo do Governo português, Medelha de Mérito da Cidade de Viseu, instituição de utilidade pública e Clube Top, destinção atribuída pelo IPDJ. Seguiram-se anos em que o nosso clube pôde usufruir de um espaço de treino, com quase a totalidade de tempos semanais disponíveis para os seus escalões de formação, à exceção de um tempo semanal que pertencia ao Dínamo da Estação. Foram cerca de 12 anos a treinar com lama e pó, e não havia ninguém interessado em lá treinar. Não satisfeito, o Lusitano avançou para uma petição para o arrelvamento do campo, mas também nessa altura nenhum outro clube se manifestou. Na gala do centenário do clube, em 2016, foi finalmente anunciado, com pompa e circunstância, como prenda dos 100 anos, pelo exm° Sr. Presidente do Município, que o Lusitano poderia contar com o arrelvamento do campo. Três anos depois do anúncio a obra continua por terminar e pior, aqueles que antes não queriam saber daquele espaço para nada, agora afiam as unhas para lhe deitar as mãos. Não obstante a isso, o mais duro e baixo golpe está para acontecer, com o Lusitano a ser induzido pelo pelouro do desporto do Município para a redução de tempos de utilização semanais abaixo de 50%, algo inconcebível, provocatório e desrespeitoso, prejudicando o desenvolvimento de cerca de 250 jovens atletas de um clube histórico que tem sido, nestes últimos anos, achincalhado na praça pública, com danos irreversíveis na sua imagem e nos resultados formativos e desportivos. Porquê dispersar os clubes por vários campos ao invés de os concentrar num só espaço? O que leva a constantes atitudes de desprezo e faltas de respeito para com o Lusitano? É a triste realidade onde atualmente estamos inseridos, em que reina a falta de idoneidade, falta de respeito, falta de profissionalismo e a falta de imparcialidade.

João Luis

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.