Estreia exemplar da Miranda-Mortágua na Volta a Portugal

In Ciclismo de Estrada by RedaçãoDeixe um comentário

Chegou ao fim a 80.ª edição da Volta a Portugal em bicicleta, com um sabor especial para a equipa Continental UCI Miranda-Mortágua, por ter correspondido à estreia do coletivo dirigido por Pedro Silva. E que deu que falar pela forma como a equipa se mostrou ao longo dos 11 dias de competição na montra do ciclismo nacional. Este domingo a equipa fechou a prova com um contrarrelógio individual em Fafe, onde tal como ontem Jorge Magalhães se destacou, chegando a ser o melhor tempo do dia.

Gonçalo Carvalho também defendeu a 3.ª posição na Classificação Geral da Juventude, terminando esta estreia na Volta com um honroso 24.º lugar na Geral Individual. Quanto à Classificação Geral por Equipas, a Miranda-Mortágua ficou na 15.ª posição.

Jorge Magalhães chegou a ser o melhor tempo do dia no contrarrelógio individual

“Um contrarrelógio que não favorecia Jorge Magalhães, que é especialista nesta modalidade, mas que acabou por fazer uma belíssima prova e mais uma vez honrou os nossos patrocinadores e dignificou a equipa. Chegou, aliás, a ser o melhor tempo do dia, o que nos trouxe protagonismo. Em relação ao Gonçalo Carvalho, embora não seja especialista, defendeu-se muito bem e fez um ótimo contrarrelógio”, declarou Pedro Silva, diretor desportivo da Miranda-Mortágua.

Em relação à primeira Volta a Portugal da equipa, o dirigente mostrou-se “muito orgulhoso destes jovens, destes meninos” e também muito satisfeito, deixando um agradecimento muito especial “a todos os que contribuíram para que a equipa Miranda- Mortágua estivesse presente na Volta, desde patrocinadores, amigos, acompanhantes, staff que é numeroso e todos aqueles que acreditaram neste projeto e que nos seguiram ao pormenor e no dia-a-dia, que deram uma força extra juventude. O meu muito obrigado a todos, mas em especial muito obrigado a estes jovens, por terem realizado a maior parte deles, o sonho de correr a Volta a Portugal, de a acabar e de estar presente todos os dias dignificando ao máximo as cores que vestem”.

Gonçalo Carvalho não sendo especialista em contrarrelógio defendeu-se muito bem e fez uma ótima prova

Para Gonçalo Carvalho, a sua primeira Volta fica marcada pelas emoções de ter estado presente em quase todas as etapas com os melhores, “o que me faz estar muito orgulhoso com o meu trabalho e dos meus colegas. Estou muito feliz, não só pelo resultado, mas com toda a equipa, todos estiveram unidos e apoiaram-me sempre logo após a terceira etapa, visto que era o melhor posicionado na Geral. Todos acreditaram em mim e ajudaram-me em tudo, por isso consegui manter o 3.º lugar na Juventude”.

O jovem mortaguense desde pequeno que teve como objetivo chegar à Volta a Portugal. Contudo não esconde que o sonho vai mais além, ambicionando chegar ao World Tour: “Vamos ver. Passo a passo. O trabalho está a dar os seus frutos e quem sabe o que o futuro me reserva e em breve ter uma oportunidade de ir lá para fora e representar o nosso país”. Contudo, para já, “resta descansar e recuperar bem as forças para o Grande Prémio de Mortágua”, já no próximo sábado, dia 18. “Vou correr em casa e é uma prova especial para mim. Quero estar bem e ajudar os meus colegas também, visto que me ajudaram aqui e agora é a minha vez de os ajudar”, rematou o corredor.

Hugo Nunes foi mais um dos estreantes Miranda-Mortágua na Volta a Portugal

Também Pedro Silva advertiu que o final da Volta a Portugal não é sinónimo de descanso. “Nada parou, ainda faltam dois meses para acabar a época e temos um objetivo que é o de lutar pela vitória na Taça de Portugal, da qual somos líderes. Vamos continuar a lutar tanto na Geral absoluta como em Sub-23, portanto sábado vamos estar a correr em casa e vamos continuar na luta. Vamos mais uma vez correr para dignificar todos aqueles que de facto apoiam e mantêm este projeto na estrada”.

Nuno Meireles foi um dos dois corredores da equipa para quem esta edição da Volta não foi estreia

 

CLASSIFICAÇÕES: 

CLASSIFICAÇÃO ETAPA – CONTRARRELÓGIO INDIVIDUAL:

 1.º – Vicente de Mateos (Aviludo-Louletano-Uli) 25m17s

31.º – Jorge Magalhães (Miranda-Mortágua) 2m22s

64.º – Francisco Campos (Miranda-Mortágua) 3m29s

80.º – Gonçalo Carvalho (Miranda-Mortágua) 3m55s

90.º – Nuno Meireles (Miranda-Mortágua) 4m22s

98.º – Hugo Nunes (Miranda-Mortágua) 4m29s

CLASSIFICAÇÃO GERAL:

1.º – Raúl Alarcón (W52/ FC Porto) 41h15m32s

24.º – Gonçalo Carvalho (Miranda-Mortágua) a 20m38s

41.º – Hugo Nunes (Miranda-Mortágua) a 44m09s

78.º – Nuno Meireles (Miranda-Mortágua) a 1h38m56s

90.º – Jorge Magalhães (Miranda-Mortágua) a 1h51m30s

98.º – Francisco Campos (Miranda-Mortágua) a 2h06m38s

 

CLASSIFICAÇÃO GERAL JUVENTUDE:

1.º – Xuban Errazkin (Vito-Feirense-BlackJack) 41h25m25s

3.º – Gonçalo Carvalho (Miranda-Mortágua) a 10m45s

 

CLASSIFICAÇÃO GERAL EQUIPAS:

1.º – Sporting/ Tavira 123h57m57s

15.º – Miranda-Mortágua a 2h18m42s

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.