Miranda-Mortágua apresenta equipa e promete fazer história

In BTT, Ciclismo de Estrada by AdminDeixe um comentário

O auditório do Centro de Animação Cultural de Mortágua encheu este sábado, dia 10, para conhecer e aplaudir a Equipa Continental UCI Miranda-Mortágua que vai para a estrada na presente temporada. Os 12 ciclistas, equipa técnica e staff apresentaram- se publicamente numa cerimónia cuidada e ao som da banda “Cordas Partidas”, e que Delmino Pereira, presidente da Federação Portuguesa de Ciclismo, considerou “muito feliz, motivadora e que inspira para uma grande época de ciclismo”. O evento teve a presença do ciclista internacional Joaquim Silva (Caja Rural-Seguros RGA), que foi homenageado pelo Velo Clube do Centro, onde fez a sua formação como Sub-23.

Em ano de mudança e que vai fazer história na região Interior, assinalada pela subida de escalão à categoria Equipa Continental UCI, a Miranda-Mortágua deu a conhecer no sábado um projeto ambicioso e completamente renovado, que se pauta pela qualidade e juventude, onde não faltam a confiança e expectativas no trabalho desenvolvido para preparação das grandes provas nacionais e internacionais.

Momentos que antecederam a Gala de Apresentação, no Centro de Animação Cultural de Mortágua

São 12 os ciclistas que compõem o plantel para a temporada de 2018, alguns deles novos reforços, outros que deram a alegria de regressar a casa, como é o caso dos dois Elites António Barbio (Completo, 24 anos) e Nuno Meireles (Trepador, 26 anos). A eles juntam-se os dez Sub-23: Pedro Teixeira (Rolador, 18 anos), Tiago Leal (Trepador, 18 anos), José Sousa (Sprinter, 18 anos), Artur Chaves (Trepador, 18 anos), João Rocha (Rolador, 19 anos), Damien Cordeiro (Rolador, 20 anos), Gonçalo Carvalho (Trepador, 20 anos), Francisco Campos (Sprinter, 20 anos), Hugo Nunes (Trepador, 21 anos) e Jorge Magalhães (Completo, 21 anos), que teve direito a uma surpresa durante a cerimónia, por ser dia do seu 21.º aniversário.

Da equipa técnica fazem parte Daniel Sousa (massagista), os mecânicos Hélder Silva e Carlos Ribeiro. Na Direção Desportiva estão Xavier Silva, Valter Sousa e Pedro Silva, presidente do Velo Clube do Centro e diretor desportivo da Miranda-Mortágua.

Gala de Apresentação deu a conhecer os 12 ciclistas que compõem a equipa Miranda-Mortágua e o staff técnico

Para o líder do projeto, que continua a apostar no ciclismo de formação, este é “um sonho que se torna realidade”. Emocionado, Pedro Silva disse “que é um desafio enorme, mas já está ganho. Trabalhámos muito para chegar onde estamos e vamos para a estrada com garra e ambição. O futuro do nosso ciclismo está aqui, é preciso ter a coragem de trabalhar com jovens porque no nosso país temos a melhor formação de equipas e esta subida de escalão coloca-nos como sendo a primeira e única equipa Continental do Interior. Vamos fazer história durante a época de 2018, ao participar na Volta ao Algarve e na Volta a Portugal, esta última a prova mais importante do ciclismo nacional. É inédito e temos de nos orgulhar disso”, sublinhou.

Já Delmino Pereira falou da importância da alteração do regulamento nacional, que permitiu a subida da Miranda-Mortágua, mais duas equipas, ao estatuto Continental. “Entendemos que o nosso pelotão nacional precisa ter ciclistas mais jovens, permitindo assim competirem lado a lado com os melhores em Portugal e ao nível internacional”. O trabalho de Pedro Silva “tem de ser valorizado e reconhecido, sendo a Miranda-Mortágua uma equipa que contribui muito para o nosso ciclismo crescer”.

João Filipe Miranda, CEO da Miranda&Irmão, líder mundial em componentes de transmissão para bicicletas e principal patrocinador da equipa, foi outra das presenças na sessão. Lembrou que este é um novo ano e com ele chegam novos desafios. A Miranda-Mortágua tem as suas bicicletas todas equipadas com a nova pedaleira de estrada XMOD Dual:1, “que vai certamente contribuir para as vitórias. Uma forma de testarmos o produto e mostrar que funciona, ao ser levado ao limite no terreno pelos campeões e capacitando as camadas jovens para evoluir, assim como os produtos”, explicou o administrador da marca, que vai ter projeção dos produtos ao nível nacional e mundial, tendo em conta a participação da equipa nas principais provas.

Por último, o presidente da Câmara Municipal de Mortágua, José Júlio Norte, viu o passado sábado como “um marco no desporto mortaguense”. Esta equipa, “onde temos campeões nacionais, valoriza os mais jovens. E não é fácil vencer nestas camadas. Temos de deixar os atletas crescerem e acreditar no trabalho que Pedro Silva desenvolve, onde o rigor e o profissionalismo nunca faltam. O projeto Miranda- Mortágua eleva o município, forma campeões e homens. Estamos convosco”.

Abraço coletivo encerrou a sessão e selou a união da equipa Miranda-Mortágua

A sessão terminou com uma homenagem de Pedro Silva ao ciclista Joaquim Silva,  que esteve no Velo Clube do Centro durante quatro anos, sendo “um dos melhores homens que por aqui passaram, um dos grandes ciclistas presentes no pelotão internacional”, mencionou o dirigente. “Esta homenagem encerra o trabalho que fazemos de há 18 anos para cá”, concluiu. O ciclista agradeceu e avançou: “Estes jovens estão no melhor lugar que podiam para crescer como ciclistas e pessoas”.

A Miranda-Mortágua está neste momento a ultimar os preparativos para amanhã, terça-feira, arrancar rumo ao Sul e participar na 44.ª Volta ao Algarve, que marca a estreia da equipa nos grandes palcos, entre os dias 14 e 18 de fevereiro.

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.