Miranda-Mortágua fecha Troféu Joaquim Agostinho com Top 15 e melhor Sub-23 português em prova

In Ciclismo de Estrada by RedaçãoDeixe um comentário

A equipa Continental UCI Miranda-Mortágua terminou hoje, dia 15 de julho, o 41.º Grande Prémio Internacional de Ciclismo de Torres Vedras – Troféu Joaquim Agostinho, com uma prestação muito positiva ao concluir no Top 15 com o corredor António Barbio e com Gonçalo Carvalho como melhor Sub-23. Uma participação feliz da equipa, que terminou na 8.ª posição da Classificação Geral coletiva nesta prova internacional, que todos os anos presta homenagem a Joaquim Agostinho.

As atenções e expectativas estavam voltadas sobre António Barbio, líder da equipa, que ao correr em casa, pela prova ser totalmente na sua região, puxou dos galões e começou logo na quinta-feira, dia 12, com uma excelente prestação no Prólogo que abriu o Troféu Joaquim Agostinho, no Turcifal, onde o corredor terminou na 19.ª posição o contrarrelógio individual.

No dia seguinte, sexta-feira 13, foi pedalada a primeira etapa em linha, onde António Barbio foi o 9.º classificado na chegada a Sobral de Monte Agraço, terra Natal deste corredor Miranda-Mortágua. A tirada ficou marcada pelas subidas na Classificação Geral, onde Barbio passou a ser o 16.º classificado e Gonçalo Carvalho fechava os 25 melhores, sendo também o 6.º classificado na Juventude.

O dia de ontem, sábado, onde os últimos 70 km foram corridos no sobe e desce do duro Circuito de Torres Vedras, viria a revelar ainda mais a excelente forma de António Barbio, que terminou a etapa no 3.º lugar, a escassos 4 segundos da vitória, o que lhe valeu a subida à 3.ª posição da Classificação Geral. A etapa na sua fase inicial arrancou tímida, mas já dentro do derradeiro circuito começaram os ataques, onde a duas voltas do final um grupo de 14 corredores escapava-se ao pelotão onde estava inserido António Barbio.

Gonçalo Carvalho foi o melhor Sub-23 português do 41.º Troféu Joaquim Agostinho

A 41.ª edição do Grande Prémio Internacional de Torres Vedras terminou hoje, com a disputa da etapa-rainha. Uma tirada decisiva que chegou ao alto de Montejunto, onde a meta coincidiu com um prémio de montanha de primeira categoria, finalizados os 172 km do percurso. Nesta última etapa mais uma vez foi apresentado grande nível por parte da Miranda-Mortágua. Gonçalo Carvalho foi o 3.º classificado da Juventude e melhor Sub-23 português em prova, terminando ainda na 14.ª posição da Classificação Geral Individual.

Quanto a António Barbio, com uma chegada que não o favorecia, acabou por ceder alguns lugares na Classificação Geral. Ainda assim terminou nos 15 melhores e demonstrou que a forma física está a melhorar de dia para dia.

António Barbio conquistou o 19.º lugar no contrarrelógio individual que abriu o Troféu Joaquim Agostinho de 2018

“Estou bastante satisfeito com a minha prestação e de toda a equipa”, disse António Barbio. “Estava a correr em casa e tinha ambições muito altas. Parti na 3.ª posição da Geral para a última etapa e sabia que ia ser muito difícil manter, uma vez que a subida final não se enquadrava nas minhas características”, explicou, referindo que acabou por “ceder algum tempo, mas as sensações neste Prémio mostraram que o trabalho está a ser bem feito e que as coisas estão muito bem encaminhadas para o principal objetivo da época: a Volta a Portugal”, concluiu o corredor de Sobral de Monte Agraço.

Já o colega Gonçalo Carvalho também chegou ao Troféu Joaquim Agostinho “com alguma ambição de conseguir uma boa prestação e tentar ajudar ao máximo o nosso líder, António Barbio. Fizemos uma boa preparação no estágio da Serra da Estrela e sabíamos que poderíamos estar na discussão”, avançou o jovem corredor. “Tivemos tudo por parte do Barbio, e só foi pena hoje, na última etapa, ter cedido alguns lugares. Quanto a mim fiz sempre uma corrida em crescendo, melhorando dia após dia. Estou muito contente, porque o trabalho árduo realizado nas últimas semanas está a dar os seus frutos, estando já o pensamento na Volta a Portugal”, confidenciou. “Quero agradecer todo o apoio dos meus colegas, staff e em especial ao Chefe Pedro Silva, por dar-nos as melhores condições para que tudo isto seja possível”, rematou.

António Barbio terminou o 41.º Troféu Joaquim Agostinho entre os 15 melhores

Para Pedro Silva, diretor desportivo da Miranda-Mortágua, “a prova correu muito bem no geral. E só não superou as expectativas porque eram muito altas. Mas no cômputo geral estamos muito satisfeitos com a equipa, principalmente com António Barbio e Gonçalo Carvalho. Trabalhámos todos muito para isso”. O dirigente acrescentou que o Troféu Joaquim Agostinho “era um dos objetivos da época, principalmente para Barbio. Mas hoje ficamos aquém do resultado Top 10, embora a equipa se tenha empenhado. Ainda assim trabalhamos bem e isso faz com que as expectativas do próximo grande acontecimento sejam as melhores e estejamos muito entusiasmados e muito confiantes”, concluiu.

Já nesta quarta-feira, dia 18, a equipa volta à estrada para correr o Grande Prémio de Portugal Nacional 2, que termina domingo, 22 de julho e antecede a Volta a Portugal.

CLASSIFICAÇÕES:

CLASSIFICAÇÃO ETAPA:

1.º – Henrique Casimiro (Efapel) 4h26m50s

15.º – Gonçalo Carvalho (Miranda-Mortágua) a 2m04s

24.º – António Barbio (Miranda-Mortágua) a 2m59s

50.º – Nuno Meireles (Miranda-Mortágua) a 7m38s

67.º – Pedro Teixeira (Miranda-Mortágua) a 15m20s

68.º – Damien Marques (Miranda-Mortágua) mt

CLASSIFICAÇÃO GERAL:

1.º – José Neves (W52/ FC Porto) 12h43m38s

14.º – Gonçalo Carvalho (Miranda-Mortágua) a 2m49s

15.º – António Barbio (Miranda-Mortágua) a 2m52s

37.º – Nuno Meireles (Miranda-Mortágua) a 10m53s

54.º – Pedro Teixeira (Miranda-Mortágua) a 26m07s

76.º – Damien Marques (Miranda-Mortágua) a 36m27s

CLASSIFICAÇÃO JUVENTUDE:

1.º – José Neves (W52/ FC Porto) 12h43m38s

3.º – Gonçalo Carvalho (Miranda-Mortágua) a 2m49s

CLASSIFICAÇÃO POR EQUIPAS:

1.º – W52/ FC Porto 38h13m27s

8.º – Miranda-Mortágua a 13m39s

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.