Domingos Gonçalves vence isolado em Boticas

In Modalidades by RedaçãoDeixe um comentário

O campeão nacional de fundo e contrarrelógio, Domingos Gonçalves (Rádio Popular-Boavista), ganhou hoje a sexta etapa da Volta a Portugal Santander, uma ligação de 165,4 quilómetros, entre Sernancelhe e Boticas. Raúl Alarcón (W52-FC Porto) mostrou aos rivais que está mais forte e mantém-se no topo da geral.

Onze fugitivos levaram a etapa até à entrada no momento mais esperado da viagem, a subida de Torneiros, a 11,2 quilómetros da meta. Na montanha, os principais candidatos à geral ficaram em cabaça de corrida e sucederam-se as movimentações.

Frederico Figueiredo e Joni Brandão (Sporting-Tavira), Xuban Errazkin e Edgar Pinto (Vito-Feirense-BlackJack), Vicente García de Mateos (Aviluado-Louletano-Uli) e João Benta (Rádio Popular-Boavista) dispararam alguns tiros, mas a convicção e a força pareceram escassas. De tal maneira que Raúl Alarcón fez duas ou três arrancadas que deixaram a concorrência em sentido.

Quando todos perceberam que seria impossível “descarregar” o camisola amarela, o ritmo na frente baixou e o grupo cresceu. Já depois de passada a meta de montanha, a 13 quilómetros da chegada, Domingos Gonçalves desferiu o primeiro golpe verdadeiramente forte da etapa e teve sucesso.

O campeão nacional chegou isolado à meta, com 20 segundos de vantagem sobre o grupo principal. O segundo foi o norueguês Krister Hagen (Team Coop) e o terceiro Daniel Mestre (Efapel).

Numa jornada que se previa complicada, Raúl Alarcón mostrou facilidade na defesa da camisola amarela. O espanhol continua com 52 segundos de vantagem sobre Joni Brandão e 1m41s sobre Vicente García de Mateos, que são os adversários mais próximos.

Todas as restantes classificações mantiveram os mesmos comandantes. Vicente García de Mateos é o primeiro por pontos, Raúl Alarcón é o rei dos trepadores, Xuban Errazkin é o melhor jovem e o Sporting-Tavira encima a lista das equipas.

A sétima etapa, a disputar nesta quinta-feira, inicia-se em Montalegre e termina, depois de percorridos 165,5 quilómetros, no alto de Santa Luzia, subida de terceira categoria no concelho de Viana do Castelo. É uma tirada propícia à formação de uma fuga vitoriosa, tanto mais que a ausência de bonificações torna menos determinante a escalada final para o estabelecimento de diferenças de tempo.

Classificação Completa: Clique Aqui

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.