FPF eSports atualiza regulamentos de FIFA Pro Clubs

In eSports by RedaçãoDeixe um comentário

Depois de um período de análise dos clubes ao regulamento das competições de FIFA Pro Clubs para a época 2017/2018 apresentado pela FPF eSports no dia 29 de dezembro de 2017, os clubes fizeram chegar junto da organização o seu feedback com o objetivo de ajudar a melhorar o regulamento que será a base das competições de Pro Clubs para a nova época.

Tendo em conta uma análise interna e o feedback dos clubes, a FPF eSports decidiu acrescentar, alterar e adicionar os seguintes pontos:

 

ARTIGO 8.º REQUISITOS DE PARTICIPAÇÃO COLETIVA

1. A Liga Pro Clubs, na sua modalidade de participação coletiva, é disputada por todos os clubes inscritos na Liga e no Campeonato Nacional.
2. A participação coletiva na Liga Pro Clubs obedece aos seguintes requisitos:
a. A página do clube deve ser registada e validada pela FPF no site esports.fpf.pt, devendo para o efeito preencher a ficha de inscrição disponível neste site.
b. Ser Clube FPF ou Clube Gaming.
c. No caso dos Clubes Gaming, a prática de desportos eletrónicos está sujeita a um processo de avaliação por parte da FPF, que assenta na atividade dos clubes, mais precisamente se estes desenvolvem e fomentam a prática de desportos eletrónicos.
3. A constituição das equipas deve obedecer cumulativamente aos seguintes requisitos:
a. Apenas podem participar clubes Portugueses.
b. O plantel tem que ter no mínimo 70% de jogadores de nacionalidade portuguesa.
c. O número máximo de jogadores inscritos por equipa é de 23.
d. O número minino de jogadores inscritos por equipa é 14.
e. O plantel deve apresentar no mínimo os seguintes cargos de responsabilidade:
i. Team Manager;
ii. Capitão.
f. A inscrição de jogadores deve ser feita no período definido e publicitado pela FPF no site esports.fpf.pt.
g. A inscrição referida no ponto anterior é feita obrigatoriamente através do site esports.fpf.pt.
4. As Equipas B:
a. Podem participar no espaço Liga ou no espaço Campeonato e não podem participar na Taça da Liga e Taça de Portugal.
b. Só podem participar na terceira divisão, caso não exista terceira divisão ou a equipa A esteja nessa divisão, a equipa B é automáticamente colocada no espaço Campeonato.
c. Equipas B têm que estar devidamente identificadas através de uma ficha de inscrição, dsponível no site esports.fpf.pt.
d. O Team Manager da equipa B tem de ser o mesmo da equipa B.
e. O Team Manager não pode jogar pela equipa B.
f. A equipa B tem que apresentar um capitão diferente da equipa A.
g. Nenhum jogador na equipa A pode jogar pela equipa B.
h. Qualquer jogador da equipa B pode jogar pela equipa A.
i. O jogador da equipa B só pode jogar pela equipa A após 72 horas de efetuar um jogo pela equipa B.
j. Conta para os efeitos da regra prevista na alínea h) a hora marcada pela organização.
k. Os cartões e suspensões aplicadas a um jogador da equipa B contam pra a equipa A e vice-versa.
l. Os jogadores não podem cumprir castigo em equipas diferentes e não podem efetuar jogos com um castigo por cumprir.
m. Caso se verifique incumprimento de alguma disposição do presente Regulamento por parte da equipa B, esta será suspensa nas próximas épocas desportivas e, a equipa A incorre numa sanção de suspensão até 12 meses.
Todas as equipas B serão colocadas como clube FPF ou clube Gaming.

 

ARTIGO 9.º TRANSFERÊNCIAS

1. No período em que não hajam competições, podem haver transferências sem condicionamentos.
2. Durante o período de transferências que decorre durante as competições e é assinalado pela organização no site esports.fpf.pt, cada equipa pode inscrever no máximo 10 jogadores, nas seguintes condições:
a. Jogadores livres sem qualquer jogo realizado na respetiva edição da Liga de Pro Clubs e Campeonato Nacional;
b. Jogadores da equipa B;
c. No máximo 1 jogador que tenha realizado algum jogo na respetiva edição da Liga de Pro Clubs e Campeonato Nacional.
3. O período de transferências decorre entre a Taça da Liga e a Liga Portuguesa.
a. Clubes que disputam qualquer tipo de qualificador não podem usufruir deste período transferências enquanto o qualificador estiver a decorrer.
4. No Draft que se realiza antes dos Playoffs da Liga Portuguesa na data indicada pela FPF eSports na sua plataforma, os clubes apurados para os Playoffs podem realizar uma transferência adicional sem nenhuma restrição.
a. Esta transferência apenas pode ser feita com acordo entre as três partes, clube que realiza a transferência, clube que liberta o jogador e a FPF eSports.
b. O jogador contratado via Draft só pode jogar nos Playoffs.

 

ARTIGO 10.º FORMATO DA COMPETIÇÃO

1. Fase regular
a. Na fase regular, a Liga Portuguesa é disputada por 16 Clubes, jogando entre si, duas vezes e por pontos, uma na qualidade de visitante e outra na qualidade de visitado.
b. Desses 16 Clubes, 8 garantem a sua vaga através da última edição da Liga Portuguesa de FIFA. As restantes 8 equipas são apuradas através da Taça da Liga (4 vagas) e as restantes 4 através de qualificadores diretos.
c. Descem para a 2.ª Liga o 16º, 15º e 14º classificados.
d. Os 4 Clubes melhor classificados qualificam-se para disputar um play off.
2. Fase Playoff
a. O Playoff é composto por duas fases: meias-final e final.
b. O Playoff é disputado pelos quatro primeiros classificados da Liga Portuguesa
c. A meia-final é disputada à melhor de três. São disputados no máximo três jogos e, para vencer a eliminatória a equipa tem que vencer dois jogos.
d. A final é composta pelos dois vencedores da meia-final e disputada à melhor de cinco. São disputados no máximo cinco jogos e, para vencer a eliminatória a equipa tem que vencer três jogos.
e. A equipa melhor classificada na fase regular tem dois resultados a seu favor em cada jogo dos Playoffs, sendo o empate contabilizado como vitória para a equipa com melhor classificação na meia-final e final.
f. Convida primeiro a equipa com melhor classificação na fase regular, alternando nos jogos seguintes.

 

ARTIGO 12.º CALENDÁRIO

1. A FPF aprova o calendário da Liga Pro Clubs e as suas alterações, define os horários dos jogos, das reuniões organizacionais, das transmissões televisivas, das ações de imprensa e quaisquer outras que, no âmbito da Prova, se venham a realizar.
2. O calendário pode ser alterado posteriormente à sua publicação, através de comunicação no site esports.fpf.pt, por motivos de interesse da Prova, em casos de força maior, por motivos de transmissão televisiva ou se for deferido requerimento apresentado pelo Clube visitado ou por ambos os clubes intervenientes.
3. A Liga Pro Clubs será disputada semanalmente com duplas jornadas, entre domingo e quinta-feira e terá como dias base domingo, segunda, quarta e quinta distribuídos pelas respetivas divisões.
4. Os jogos referidos no número anterior são distribuídos por divisões e competicões, reservando a organização a possibilidade de marcar jogos de divisões diferentes no mesmo dia.
5. Os horários dos jogos serão revelados pela organização até no mínimo dez dias antes dos respetivos jogos e os mesmos serão entre as 21H30 e 23H30.
6. Caso a organização incumpra o disposto no número anterior, as equipas têm o direito de não realizar o jogo.

 

ARTIGO 19.º SUSPENSÃO DA COMPETIÇÃO

1. A exibição de cartão vermelho direto ou acumulação de amarelos (no jogo) é sancionável com suspensão de no mínimo 1 jogo.
2. A acumulação de cartões vermelhos é sancionável com suspensão de 1 jogo.
3. A contabilização de cartões vermelhos e respetivas suspensões apenas são aplicáveis aos respetivos jogadores

 

ARTIGO 25.º ENCARGOS COM DESLOCAÇÕES

O Clube da Liga Portuguesa apurado para a final da Supertaça, que será disputada em evento offline, suportará os encargos com as respetivas deslocações.

 

ARTIGO 26.º TRANSIÇÃO DA LIGA PORTUGUESA DE FIFA

1. A Liga Portuguesa de FIFA é uma competição composta por clubes comunidade, cujos participantes transitam automaticamente, reconhecida pela FPF eSports como base da  Liga Pro Clubs 2017/2018, uma vez preenchidos todos os requisitos previstos no presente Regulamento.
2. Todos os dados facultados pela Liga Portuguesa de FIFA à FPF eSports, incluindo a sua veracidade, observam o regime legal de proteção de dados e são da responsabilidade da organização prova referente à época 2016/2017.
3. A listagem e ordem de clubes que transitam da Liga Portuguesa de FIFA para a FPF eSports, é a seguinte:
• EGN eSports (ex Estrondo FC)
• Sporting CP (ex LionHearts)
• SC Braga (ex Enigma FC)
• For The Win Legacy (ex FC Legacy)
• Rio Ave FC (ex Portigers FC)
• Hexagone Lisboa (ex Lisboa FC)
• Estoril Praia eSports
• Boavista FC

A Federação Portuguesa de Futebol, no âmbito da aposta que tem vindo a ser feita na vertente de esports, reitera a sua posição relativamente ao desenvolvimento de uma comunidade de jogadores de FIFA, com o objetivo claro e inequívoco de fomentar uma cultura que privilegie a participação, o respeito e a competição entre os jogadores. A incorporação na FPF eSports do trabalho desenvolvido pela Liga Portuguesa de FIFA é um compromisso desta secção, demonstrado respeito pelo histórico e pelo trabalho de excelência desenvolvido, que não poderia deixar de ser aproveitado no arranque das competições. Acreditamos que unindo forças com todas as organizações estaremos em condições de proporcionar um melhor espaço competitivo e, por conseguinte, potenciar o crescimento dos esports em Portugal.

ARTIGO 27.º COMUNICAÇÕES

1. Todas as comunicações entre as Partes deveráo ser efetuadas mediante correio eletrónio para o seguinte endereço: [email protected]
2. As comunicações realizadas nos termos do número anterior apenas se considerarão efetuadas, se endereçadas À FPF eSports, não se considerando válidas aquelas que sejam enviadas para outros departamentos da FPF.

A FPF eSports relembra que após o fecho das inscrições, as mesmas serão analisadas e com base nessa análise será apresentado o regulamento da Taça da Liga com a devida estrutura e o processo de distribuição dos clubes pelas divisões.

O regulamento completo poderá ser consultado aqui.

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.