Miguel Franco de Sousa – Um percurso competitivo, finalmente!

Em Golfe por AdminComentários de 0

Estou a falar na estratificação de quadros competitivos, onde todos os agentes envolvidos no processo têm responsabilidades no seu desenvolvimento.

Os quadros competitivos federativos que se destinam às camadas jovens, Sub18, Sub16, Sub14, Sub12 e Sub10, são alvo de regulamentação especifica, tendo sempre em conta o desenvolvimento qualitativo dos atletas.
Considero fundamental criar plataformas de competição adequadas a este processo, gerando competitividade ao mais alto nível nacional e proporcionando um meio de aferição adequado e real, fundamental para a definição de estratégias de futuro.

No que à inclusão diz respeito, deverão ser criados quadros competitivos adequados a esse estágio, em ambiente local e regional, para que, entre outros factores, os custos de participação sejam reduzidos. O Circuito Drive, até 2017, era um circuito hibrido, no qual se tentou acomodar a inclusão e, ao mesmo tempo, o rendimento, o que levou a um circuito destruturado, cujos resultados ficaram aquém daquilo que seria de desejar.

No ano de 2017 foram organizadas 28 competições no total (7 no Norte, 7 no Centro, 7 no Algarve, 3 nos Açores, 3 na Madeira e a Final do Drive) e onde participaram jogadores de todos os escalões etários e categorias.

Para a época desportiva que agora se inicia, a FPG decidiu, consultados vários agentes do golfe nacional, nomeadamente clubes e treinadores com participação activa no processo de desenvolvimento desportivo, segmentar e incrementar o número de competições adstritas à iniclusão através da criação do Drive Challenge. Assim, os jovens jogadores integrados nesta fase, terão 31 competições (5 no Norte, 5 no Centro, 5 em Lisboa e Vale do Tejo, 5 no Algarve, 7 nos Açores e 4 na Madeira), ou seja, mais 3 competições que na época passada.

Destinando-se o Drive Challenge à inclusão, a FPG implementou um novo circuito destinado aos melhores jogadores de cada escalão, sendo os Sub18 e Sub16 limitados às 1ª e 2ª categorias e os Sub14 e Sub12 à 3ª categoria. Este circuito denomina-se Drive Tour e é jogado em 5 competições, 3 de 36 buracos e 2 de 54 buracos, sendo que as de 54 buracos são provas pontuáveis para o World Amateur Golf Ranking, para os atletas dos escalões de Sub18 e Sub16.
Através do Ranking Nacional do Drive Tour serão apurados os 52 melhores atletas para a Grande Final Nacional / Campeonato Nacional de Jovens, sendo que o campeão nacional de cada escalão será o atleta que terminar a época em primeiro lugar no Ranking Nacional Drive Tour.

Este novo formato permite incluir mais 5 competições no calendário da FPG destinada aos melhores jovens nacionais, algo que não existia no passado, e também irá consagrar como campeões nacionais os atletas mais regulares ao longo de uma época desportiva e não com base em dois dias de competição.

Ao todo, o calendário da FPG viu um aumento de 8 competições destinadas aos escalões mais jovens, quer na fase de inclusão, quer na fase mais avançada, o que representa um aumento de 29% no numero de competições face ao ano de 2017.

Existe agora um modelo competitivo equilibrado, onde os atletas têm um claro entendimento do percurso competitivo, desde a iniciação até ao profissionalismo.

Desejo a todos uma excelente época desportiva.

Miguel Franco de Sousa
Presidente FPG

Deixe um Comentário