Sardinhada no Montebelo

In Golfe by Álvaro Manuel MarrecoDeixe um comentário

O torneio pós férias no Montebelo, tem sido há uns anos a esta parte o torneio da sardinhada, prova que teve como mentor e principal patrocinador nas primeiras edições (sacrificando inclusivamente o vício golfe, para assar as sardinhas e coordenar o almoço) o nosso amigo Zé Artur. Na edição deste ano, que teve a participação de seis dezenas de jogadores em representação de 11 clubes nacionais (Viseu, PGA, Quinta das Lágrimas, ACP, Seniores, Centro, Oporto, Prof. Ed. Física, Engenheiros, Paço do Lumiar e Miramar), tivemos resultados demonstrativos de que os tacos fizeram parte da bagagem, pois os primeiros nove venceram o percurso caramulo. O jovem Afonso Guedes em representação do Paço do Lumiar, mas familiarmente ligado à região, aproveitou da melhor maneira para se despedir do seu handicap ega de 48, pois apresentou um cartão com 44 pontos que lhe garantiram a “sardinha mais apetecida”. Também tiveram direito a “manjuas”, o Rui Cabral que obteve 43, João Antunes e António Cunha (1º sénior) 39. Seguiram-se, o Luís Abreu com 39, José Gonçalves e Ricardo Coelho 38 e Nuno Marques e Luís Chaves 37. O Luiz Albuquerque foi o melhor jogador em prova com 32 pontos, António Cunha ficou a 3 pontos e João Couto e Rui Cabral ficaram a 7. A Isabel Guedes, como 1ª senhora também teve direito a um espécime deste apreciado peixe da família “clupeidae”, que tal como os restantes eram da espetacular coleção Bordallo Pinheiro. No final, tivemos uma tômbola com produtos hortícolas biológicos (onde pontificavam os produtos da família “solanaceae”, que, segundo dizem, são grandes e de ótima qualidade), oferta do “latifundiário canense” António Cunha que para além de excelente professor e golfista, está um agricultor de primeira água.

 

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.