Dores de crescimento: o que são e o que fazer?

In Artigos de Opinião, Atletas - Artigos de Opinião, Crianças, Destaque, Medicina - Artigos de Opinião, Prevenção de Lesões, Saúde - Artigos de Opinião by AdminDeixe um comentário

Para cada teoria que explica as dores do crescimento, há outra teoria que a refuta.

Pesquisas e estudos feitos sobre o tema tiveram resultados inconclusivos e amplamente variáveis. Uns, defendem que as dores de crescimento afetam de dez a vinte por cento das crianças em crescimento, ocorrendo mais frequentemente nas raparigas. Outros, mostram que de cinco a trinta por cento de todas as crianças têm queixas de dor músculo-esquelética, das quais apenas oito por cento são atribuídas a dores de crescimento.

Como não há evidências significativas, até ao momento, que indiquem que as dores de crescimento são resultado do crescimento infantil, alguns médicos resistem em usar o diagnóstico “dores de crescimento” e, em vez disso, diagnosticam a dor como variações da frase “dores noturnas benignas nos membros”. Como as pesquisas sobre este tema são contínuas, surgiram novos estudos que indicam que as dores de crescimento podem, na verdade, ser hereditárias.

CAUSAS

Os especialistas médicos reconhecem que as dores de crescimento são reais, mas existe muita discordância quanto à causa real das mesmas. A Fundação Mayo para a Pesquisa e Informação Médica afirma que não há evidências de que o crescimento infantil seja doloroso, ou que as dores do crescimento estejam relacionadas ao crescimento. “A causa das dores de crescimento é desconhecida. Mas não há evidências de que o crescimento de uma criança seja doloroso. E as dores do crescimento geralmente não acontecem onde o crescimento está a acontecer, ou durante períodos de rápido crescimento ”.

Uma teoria, apresentada pela Mayo Clinic, é que as dores de crescimento podem estar ligadas à síndrome das pernas irrequietas e a Fundação Clínica de Cleveland refere que “muitas crianças com essas dores são muito flexíveis (hipermóveis) e têm “pé chato”. Algumas crianças com essas dores têm um limiar de dor baixo e também podem ter dores de cabeça e dor abdominal. Um estudo descobriu que crianças com essas dores têm menos força óssea do que a população normal. Portanto, a dor num dia de atividade física aumentada pode significar que a criança pode sentir dor pelo “uso excessivo” das pernas. “

Do ponto de vista da quiroprática, “… essas dores de crescimento” são frequentemente chamadas de “ciática” nos adultos. Por outras palavras, uma subluxação vertebral na parte inferior das costas, comprimindo o nervo ciático que controla as pernas. Essas dores também podem ser causadas por um “desequilíbrio pélvico funcional”. Em termos simples, é uma subluxação dos ossos pélvicos que, então, muda a maneira como a criança caminha. “

Mais uma vez, não é fácil discernir a causa real das dores do crescimento, quando muitos especialistas médicos discordam sobre a causa real dessas dores na infância.

DIAGNÓSTICO

Imagem: http://childcarephysicians.com/2015/03/16/growing-pains-or-something-more-serious/

Apesar das amplas variações de teorias quanto à causa das dores do crescimento, os especialistas médicos concordam com vários critérios para o seu diagnóstico:

*As dores de crescimento ocorrem no músculo, e não no osso, e são mais prováveis ​​de serem sentidas na zona dos gémeos, atrás do joelho ou na frente da coxa

*A dor também pode ser sentida nos braços, mas é menos comum que a dor na perna

*A dor geralmente começa ao fim da tarde, ou à noite, e desaparece de manhã

*A dor muitas vezes é suficientemente intensa para despertar uma criança do sono

*As dores de crescimento têm mais pobabilidade ​​de ocorrer quando as crianças têm estado extremamente ativas durante o dia com atividades de alto impacto, como saltar, escalar ou correr

*As dores de crescimento não devem interferir com as atividades normais ou atividades desportivas

*A dor não ocorre durante o crescimento ou no local de crescimento

*As dores e crescimento não afetam o crescimento de uma criança

*A dor não segue um padrão definido. As dores de crescimento podem ser esporádicas, ao longo de alguns anos, ou ocorrer todas as noites, durante alguns dias ou semanas

O QUE FAZER?

*Levar a criança a um médico para descartar outras possíveis condições médicas

*Aplicar um saco de água quente, ou uma almofada de aquecimento, na zona afetada, entre 20 a 30 minutos, para ajudar a aliviar os sintomas

*Massajar suavemente os músculos afetados para ajudar a aliviar os sintomas

*Alongar os músculos doridos, para ajudar a aliviar os sintomas

CONCLUSÃO

Imagem: www.freepik.com/free-photo/children-playing-on-grass_854912

Embora os especialistas médicos concordem claramente que “as dores noturnas benignas nos membros” não são um resultado direto do crescimento ósseo infantil, o termo “dores de crescimento” continua a ser um termo familiar mais associado ao crescimento infantil e, infelizmente, à dor infantil. Seja qual for a causa, as dores do crescimento são, certamente, uma dor muito real, que muitas crianças sofrem durante a infância.

Felizmente, os episódios individuais de dores de crescimento são de curta duração, geralmente com duração não superior a trinta minutos. Como as dores do crescimento ocorrem ao fim da tarde, ou à noite, mas não duram até o dia seguinte, não há restrições físicas ou desportivas para as crianças que as tenham.

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.