Coimbra foi o palco escolhido para a “1ª Corrida pelos Direitos Humanos”

In Atletismo, Modalidades by RedaçãoDeixe um comentário

 

O Instituto Português do Desporto e Juventude, I.P. em parceria com a Câmara Municipal de Coimbra e a Associação Distrital de Atletismo de Coimbra, organizou no passado dia 9 de dezembro a “1ª Corrida pelos Direitos Humanos”, composta por uma prova de corrida com aproximadamente 10km e uma caminhada dos 0 aos 100 anos com a distância de 3.1km.

 

Tratou-se de uma iniciativa no âmbito da celebração dos 70 Anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos e dos 40 Anos da Adesão de Portugal à Convenção Europeia dos Direitos Humanos e várias centenas de participantes de todas as idades deram um imenso abraço aos Direitos Humanos, proporcionando um colorido diferente às ruas de Coimbra, e lançando a discussão à sociedade  para que cada um possa ser agente multiplicador desses mesmos direitos.

 

Estiveram presentes a Ministra da Presidência, Maria Manuel Leitão Marques, o Secretário de Estado da Juventude e do Desporto, João Paulo Rebelo, o Vice-presidente da Câmara Municipal de CoimbraCarlos Manuel Dias Cidade, o Comissário para as comemorações dos 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos, Vital Moreira, o Presidente da Associação Distrital de Atletismo de Coimbra, David José Marques Soares, bem como, o vogal do Conselho Diretivo do Instituto Português do Desporto e Juventude, Carlos Manuel Pereira e a Diretora Regional do Centro do Instituto Português do Desporto e Juventude, Catarina Durão.

 

Foi, ainda, prestada uma justa homenagem a Horácio Madeira Beltrão Poiares, o embaixador desta Corrida pelos Direitos Humanos em Coimbra, figura indispensável no panorama desportivo local, regional e nacional. Personalidade de convicções e sempre disponível para a caminhada desportiva em prol do desenvolvimento social, abraçando reptos e nobres causas que indubitavelmente têm contribuído para uma sociedade mais igualitária.


Corridas semelhantes decorreram em Braga, Odivelas, Portalegre e Portimão.

O lema “Livres e Iguais” visa promover a consciência pública sobre a importância decisiva dos direitos humanos numa sociedade livre e democrática, tanto ao nível da opinião pública em geral como em relação a alvos privilegiados, como as crianças e a população jovem, e sobre a sua concretização e especificidade no que se refere a grupos historicamente desfavorecidos, como as mulheres.”

 

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.