Queda coletiva não beliscacontas da Geralda Volta a Portugal para a EFAPEL

In Ciclismo, Ciclismo de Estrada, Modalidades by RedaçãoDeixe um comentário

Hoje a sorte não esteve do lado da Equipa Profissional de Ciclismo EFAPEL, que foi vítima da queda coletiva que ocorreu a poucos quilómetros da meta, em Leiria, nesta primeira etapa da Volta a Portugal Santander. Uma tirada que tinha tudo para sorrir à equipa, ao partir das terras de Miranda do Corvo, muito próximas das instalações do principal patrocinador, a EFAPEL, que esteve representada pelo seu administrador, com a presença de muitos fãs, amigos e até da Escola de Formação, com alguns atletas. Ainda assim o incidente não mexeu nas contas da Geral, quer Individual, como por Equipas.
Os 174,7 km da viagem desta quinta-feira começaram com uma fuga a 5 km da partida, onde quatro heróis chegaram a ter mais de 12 minutos de vantagem para o pelotão. O grande grupo pedalou sereno até a W52-FC Porto tomar a dianteira e reduzir a diferença. Esta aventura terminaria para os dois resistentes (os outros dois já tinham sido absorvidos) a 2 km da meta.
Antevendo-se um final ao sprint, que viria a concretizar-se, uma queda impediu a EFAPEL de conseguir colocar o seu líder para terminar com o melhor resultado. Jóni Brandão era um dos envolvidos e ficava, assim, comprometida a chegada nos lugares cimeiros da tirada.
“Hoje cumpriu-se a primeira etapa. Os dias iniciais são mais nervosos, todas as equipas querem estar na frente para colocar o seu líder. Felizmente nesta queda não houve lesões de maior por isso vou considerar um dia salvo. A equipa está bastante bem e continua motivada, estamos muito unidos e queremos desfrutar ao máximo desta corrida. É normal a tensão diária que é vivida, estamos na Volta a Portugal e por isso esta corrida é tão especial”, avançou Rúben Pereira, diretor desportivo da EFAPEL. O dirigente da formação de Ovar aproveitou para agradecer a presença do administrador da EFAPEL, Eng. Américo Duarte, que acompanhou a etapa, “sendo mais um fator de motivação para todos. Queremos dignificar ao máximo a marca EFAPEL nesta competição”, rematou.
Esta sexta-feira traz a viagem mais longa da prova rainha: 198,5 km entre a Marinha Grande (12.20 horas) e Santo António dos Cavaleiros, no concelho de Loures (17.32 horas). Um percurso que cruza a zona Oeste e onde a ocorrência de vento poderá trazer problemas. A meta vai coincidir com uma contagem de Montanha de 4.ª categoria, uma rampa com 1400 metros e 8% de inclinação média.

CLASSIFICAÇÕES:

CLASSIFICAÇÃO ETAPA 
1.ª ETAPA: Miranda do Corvo – Leiria: 174,7 km
1.º David Appolonio (Amore & Vita-Prodir), 04h47m07s
43.º Niki Mihaylov (EFAPEL), mt
45.º Sérgio Paulinho (EFAPEL), mt
59.º Fabricio Ferrari (EFAPEL), mt
101.º Jóni Brandão (EFAPEL), mt
102.º Rafael Silva (EFAPEL), mt
103.º Henrique Casimiro (EFAPEL), mt
106.º Bruno Silva (EFAPEL), mt

CLASSIFICAÇÃO ETAPA POR EQUIPAS
1.ª W52-FC Porto, 14h21m21s
16.ª EFAPEL, mt

CLASSIFICAÇÃO GERAL – AMARELA
1.º Samuel Caldeira (W52-FC Porto), 04h54m35s
8.º Jóni Brandão (EFAPEL), a 07s
15.º Niki Mihaylov (EFAPEL), a 10s
18.º Sérgio Paulinho (EFAPEL), a 12s
23.º Henrique Casimiro (EFAPEL), a 17s
26.º Bruno Silva (EFAPEL), a 21s
35.º Rafael Silva (EFAPEL), a 27s
60.º Fabricio Ferrari (EFAPEL), a 37s

CLASSIFICAÇÃO GERAL POR EQUIPAS
1.ª W52-FC Porto, 14h43m49s
3.ª EFAPEL, a 25s

Fonte:

EFAPEL

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.